Fernando Botero e seus volumes

Olá Belezuras! Pesquisando curiosidades sobre a Colombia, encontrei um Pintor e escultor chamado Fernando Botero, o mesmo é conhecido internacionalmente por suas obras em que representa mulheres gordas. Na própria Colombia existem muitos lugares onde suas obras são expostas, como em Cartagena e Medellín, onde vocÊ pode ver respectivamente nas fotos a baixo.txbsczyh-1351861628-bgimages-6 Mas o que muitos não sabem, é que Botero não usa o seu trabalho como uma forma de incentivo a obesidade, nem como um incentivo para a desmistificação dos padrões de beleza, e muito menos porque tem um desejo pelas as mulheres gordinhas. Fernando Botero já foi casado três vezes e todas eram magras, inclusive, sua esposa Atual, a artista grega Sophia Vari, mede 1,75 metros e pesa 55 quilos.

Fernando+Botero+Sophia+Vari+Bal+De+La+Rose+FCrbGrwFwG7l

Mas então, porque Botero utiliza de gordas em suas obras, afinal?

Fernando-Botero

O artista de 81 anos já afirmou em entrevistas que as mulheres pintadas por ele não são gordas, mas “volumosas”.

– Não pinto gordas. Ninguém acredita em mim, mas é verdade. Eu pinto volumes. Quando pinto uma natureza morta também pinto com volume, se pinto um animal ele também será volumoso, se pinto uma paisagem, igual – afirmou o colombiano ao jornal espanhol El Mundo.

– Sou atraído pelo volume, a sensualidade da forma. Se pinto uma mulher, um homem, um cachorro ou um cavalo, o faço sempre com a ideia do volume, mas não é que eu tenha uma obsessão pelas mulheres gordas – disse.

– A arte pré-colombiana, por exemplo, é disforme e bela. E ao contrário: se alguém pega uma modelo e a retrata tal como ela é, o resultado é um horror de banalidade, de superficialidade, de estupidez – argumentou

Inclusive, o artista já até recriou obras muito famosas lhes dando volume, como foi a caso da Monalisa de Picasso.

amonalisa

Sabe o que eu acho pessoal? Botero pode até não fazer suas obras pela a nossa “causa”, mas que ela ilustra ela bem, isso ela faz! As ruas de Medellín e Cartagena que o digam! Irei passar por essas duas cidades na minha viagem de final de ano, se vocês quiserem saber que viagem é essa, é só olhar aqui.

Putas, gordas e desesperadas. Será?

Acho que sexo sempre foi, e sempre será um tema que causa reações nas pessoas. Sendo elas positivas, negativas, engraçadas ou ” tesudas” hahaha Desde que entrei no mundo universitário o sexo sempre entra em pauta em qualquer conversa de barzinho, na casa dos amigos, e nas festas do final de semana. A casa dos “20 e poucos” grita a palavra SEXO! É a palavra de ordem! É a época de descobertas com “consentimento”. Lembro que no meu ensino médio todas as minhas amigas perderam a virgindade na mesma época, era como se o “click” de caça as “pepekas lacradas” tivesse sido apertado, e cada uma que procurasse deslacrar a sua.Imagem

Com a idade, os tabus do sexo vão se perdendo e aí que entra o sexo casual. Na vida masculina o sexo casual é visto como rotina, as vezes até obrigação. Mas para as mulheres ainda é visto de uma forma hipócrita. Sexo é bom, todo mundo faz, então qual é o problema de você sentir e proporcionar prazer, e um momento de gostosuras e sacanagens? É uma coisa a se pensar, mas eu quero entrar ainda mais a fundo nessa questão. Gordas que fazem sexo casual.

– “Ué, e tem diferença em uma mulher gorda, ou uma mulher magra que fazem sexo casual? Se existe problema em faze-lo, as duas estão erradas da mesma forma, certo?”

– ” ERRADO.”

Entendam, sou totalmente a favor das pessoas expressarem sentimentos bons, independente de como a pessoa o faça, se é através de sexo, abraços, beijos ou uma palavra de apoio. Para mim, tudo está valendo. E que se danem as convenções! Mas já vimos muitos comentários durante a vida (Maldosos diga-se de passagem.) sobre as mulheres gordas serem fáceis! ¬¬ Alguns homens de ego inflado e mulheres de ancas “finas” dizem que mulheres gordas são desesperadas e que qualquer cara que pedir para ficar com uma gorda está fazendo uma caridade. Estou generalizando, óbvio. Mas traduzindo eufemismos como “gordinhas”, “namoradeira”, que você encontra nessas frases de julgamento disfarçada de comentários inocentes, LÊ- SE: ESSA GORDA DÁ PRA CARALHO, E ALIÁS DÁ PRA QUALQUER UM.

Sabemos a dificuldade dos homens assumirem relacionamentos com mulheres acima do peso, e o que particularmente me dá até pena. (Deve ser muito dificil reprimir tanto desejo pelas nossas curvas rsrsrsrs) Se uma mulher, estando ela no padrão de beleza aceito, fizer sexo com estranhos, ou com parceiros que não não fixos já é vista como uma puta, imaginem vocês, mulheres que já são pré-jugada pelas suas medidas, e que AINDA desafiam a nossa sociedade machista que não aceita o fato de nós, mulheres, gostarmos de sexo? É bem provável que elas sejam chamadas de putas, de gordas, e ainda desesperadas. Gostaria muito de entender como o peso de uma mulher pode ser um agravante no julgamento, do “ser” puta, ou do não “ser”. Seria mais normal/aceito uma mulher gorda se ESCONDER dos prazeres da carne, e dos negões (Sou xonada por negões.) gostosões que Deus enviou para o nosso total proveito?? Será que isso incomoda tanto, que o fato de fazermos sexo com ou sem parceiros fixos se torna ofensivo aos olhos dos outros, mas ofensivo ainda do que uma mulher magra fazendo o mesmo?

– Sim.

– Não tem lógica! Eu sei.

– Não tem o porque! Eu sei.

– Eles são uns babacas! Eu sei.

Vamos voltar a parte de as mulheres gordas serem vistas como carentes, fáceis e desesperadas, beleza?

Pense na questão, uma mulher de 28 anos, solteira, acima do peso, com a grande maioria de suas amigas namorando, ou casadas (Diga-se de passagem, grande maioria magras, ou engordaram depois do casamento.) Essa mulher sai em algum determinado dia com suas poucas amigas que ainda estão solteiras, conhece um cara legal, eles ficam, rola a vontade e eles transam. No outro dia nenhum dos dois nem sequer se preocupa em manter contato, cada um para sua casa e a vida segue feliz até a próxima balada. Pode julgar, estamos aqui para analisar todos os lados da questão.

1º)Ela está errada?

2º) Ela fez isso porque está gorda, velha, encalhada, e sem opções?

3º)Ela não procurou manter contato com ele porque acha que não o agradou suficiente, e não quer passar a vergonha de ser ignorada por mais um?

Vou lhes responder pelo O MEU olhar da situação.

1º)Não, ela não está errada. As amigas é que foram bobinhas e se deixaram perder a melhor fase da vida! ( Entendam, não me vejo nem mãe, e nem casada antes dos 30.)

2º) Não, ela fez isso tudo porque segue a principal lei da vida, “SE PERMITIR” Se permitir ter bons e maus momentos, se permitir dançar conforme a dança, se permitir seguir os extintos, se permitir a chance de viver. (Entendam, cada um se permite da forma que o melhor apetece.)

3º) Não, provavelmente o cara tem pau pequeno, só dá uma e já está morto, e ainda por cima, broxa.

Eu quero que todos que leem minhas opniões sobre o tema entendam que não estou falando: SAIAM POR AÍ E DÊ PRA O PRIMEIRO NEGÃO QUE APARECER! (Já falei que adoro negões? hauhauhau) Estou falando que apoio qualquer decisão, de qualquer pessoa, referente a qualquer assunto, desde que a pessoa o faça consciente do que quer ou do que tem. Nada de tentar tapar os buracos da ‘alma”, com pintos que só vão querer tapar um exclusivo buraco seu, (ou dois.. cada qual com seu cada qual, né?) E ainda quero que entendam mais! Quero que entendam que não são as gordas que são carentes, desesperadas e blá blá..Nós somos ENTREGUES, o que é diferente! Nós somos entregues de corpo e alma as pessoas que gostamos, e somos entregues de corpo e alma ainda mais a nós mesmas, e as nossas vontades! provavelmente por já termos sido tão criticadas durante a vida, agora não ligamos mais pra qualquer outra coisa que não sejam as nossas vontades. Por isso, se ser assim, é ser uma puta gorda desesperada.. aconselho que todas sejamos.

Imagem

 

bianca

Que mundo estamos contruindo?

Olá minha belezuras! Esse final de semana prolongado que tivemos (POR CONTA DO FERIADO NA QUINTA.) Fez com que passasse mais tempo com minha família, inclusive com meus primos pequenos. É sempre bom estar perto de crianças, é um momento mais leve, mais “puro”, mais ingênuo, não é verdade? Afinal todos nós sabemos que crianças são muito sinceras, até quando não deveriam ser tanto… É sempre bom conversar com uma criança, você acaba abrindo a cabeça para os assuntos. Com essa minha filosofia de que as crianças são ótimos formadores de opnião, lá estava eu em pleno sábado a tarde conversando com meu priminho Leandro.

ImagemEsta pessoinha aí em cima.

Bem, estava olhando algumas fotos que já utilizamos tanto aqui, quanto na página do facebook. Eram mulheres acima do peso mas que eram extremamente lindas, rostos maravilhosos, peles maravilhosas, enfim. Eram lindas, porém gordas. Leandro curioso, como toda criança é, me veio perguntar o que eu estava olhando e eu prontamente respondi.

– Estou olhando fotos de mulheres bonitas, elas não são bonitas?

Ele que sempre responde tudo na lata, se calou. Insisti, e perguntei novamente. Ele meio sem saber como explicar começou a usar as mãos para mostrar o que estava errado na minha avaliação com relação a beleza daquelas mulheres. Ele colocava as mão como concha sobre as bochechas e dizia:

– É que elas são meio, assim…

E colocava as mãos novamente sobre as bochechas e fazia bico, querendo mostrar que elas eram “cheias” como ele mesmo depois falou.

Eu comecei a conversar com ele e perguntei o porque delas serem feias, perguntei se ele achava que só por alguém ser gordo essa pessoa já se tornava automaticamente feia. Depois de um tempo ele começou a mudar o que estava dizendo, talvez porque quando mostrei as fotos pedi pra ele examinar o rosto daquelas mulheres, pedi para que ele visse o olhar de confiança delas, e que ele me dissesse se ainda continuava as achando feias. Ou talvez, ele tenha começado a mudar seu discurso simplesmente porque ele é “Maria vai com as outras”. Depois que ele foi embora lá de casa comecei a analisar aquilo que se passara. Fiquei pensando em quando eu era criança, já que sempre fui uma pessoa gorda. Fui uma bebe, criança, adolescente e hoje sou uma adulta gorda. E sempre convivi com opiniões como essa de Leandro nos meus coleguinhas de classe, que justamente como a dele, foram disseminadas ainda quando criança. Tá certo que na minha época de escola ainda pouco se falava sobre o bullying, e em como apelidos, estereótipos, podem prejudicar a formação de uma criança. Mas nos dias atuais o que mais se fala é sobre isso. Eu como educadora, estudante de licenciatura vejo todos os dias crianças que vivem com essa violência, seja na escola ou nas próprias casas. Com mães que educam os filhos dizendo:

– Vamos comer verdura filha, você não quer ficar gorda e feia, né?

Fiquei preocupada com o garoto, e o homem que Leandro vai ser. E de todas as crianças que tem as mesmas ideias que Leandro. É obvio que esse tipo de ideologia de beleza não está inerente a ele e nem a nenhuma outra criança. É a sociedade em que vivemos que constrói mentes limitadas, e preconceituosas. Essas mentes infelizmente são construidas desde as primeiras palavras.

Vocês já assistiram “A pequena Miss Sunshine” ? Se não assistiram, assistam e de preferência assistam com seus filhos e filhas pequenos.

pequena-miss

Sabe de uma coisa? Eu quero uma sociedade onde o peso de uma pessoa não interfira em sua beleza e em seu caráter. Eu quero uma sociedade onde as crianças possam aprender desde cedo, que as diferenças são legais! Eu quero uma sociedade em que a escola e a família caminhem lado a lado na construção da índole de uma criança. Vamos pensar direitinho no que estamos fazendo para que a nossa triste realidade, um dia se torne essa sociedade que tanto queremos.